DestaqueGeral

APA Estâncias de Pendotiba sofre terceiro dia consecutivo com incêndios BNRJ

Pelo terceiro dia consecutivo, a Área de Proteção Ambiental (APA) Estâncias de Pendotiba, em Maria Paula, sofre com incêndios. O último caso, que teve início na tarde de segunda-feira (23), resultou em um incêndio grave e de grandes proporções, que só foi controlado pouco depois das 2h desta quarta-feira, após trabalho conjunto dos agentes do Grupamento de Defesa e Proteção Ambiental (Gpam) da Guarda Municipal de São Gonçalo e militares do Corpo de Bombeiros. Uma área de Mata Atlântica equivalente a cerca de quatro campos de futebol já foi consumida pelas chamas dos últimos dias.

Devido à complexidade da região, as ações de combate ao incêndio se estenderam até a madrugada desta quarta-feira (24).

“A noite e madrugada de combate ao incêndio foram dificultadas pelas características da região atingida pelo incêndio, pois trata-se de um local de mata fechada. É urgente que as pessoas se conscientizem de que estão cometendo crime quando soltam balões, colocam fogo no lixo e desmatam”, destacou o subsecretário de Meio Ambiente, Gláucio Brandão, que acompanhou o trabalho do Gpam e do Corpo de Bombeiros.

Há indícios de que a ação tenha sido criminosa. Agentes do Gpam que atuam na proteção da APA encontraram, na manhã desta quarta-feira (24), uma fogueira na mata. Troncos de árvore cortados e queimados dão indícios de que o incêndio tenha sido provocado. O trabalho de rescaldo continua na região e guardas do Gpam ainda trabalham no local, utilizando abafadores para extinguir focos de incêndio que ainda se formam na mata.

No último domingo (22), por volta das 15h, a APA Estâncias de Pendotiba foi atingida por um grande incêndio, que não avançou graças à ação imediata dos guardas municipais do Gpam, que utilizando abafadores, conseguiram conter o fogo. O incêndio foi provocado pela queda de um balão.

Crime

O clima seco aliado à estiagem prolongada deixa as áreas de mata suscetíveis a incêndios criminosos, como a soltura de balões, queimadas para construções irregulares e moradores que residem próximos às florestas e têm a prática de queimar lixo.  Segundo a Lei Nº 9.605, de 12 de fevereiro, a soltura de balões é crime ambiental, passível de detenção, de um a três anos, multa, ou ambas as penas cumulativamente. A mesma pena pode ser aplicada para quem destruir ou danificar vegetação em estágio avançado ou médio de regeneração, da Mata Atlântica, ou utilizá-la com infringência das normas de proteção.

Denúncia

As denúncias sobre soltura ou mesmo locais que realizem confecções de balões podem ser feitas por telefone através da Linha Verde do Disque Denúncia, exclusivo para recebimento de informações sobre crimes ambientais, através do número e 2253-1177. Através da internet, as denúncias podem ser feitas pelo aplicativo para celulares ‘Disque Denúncia RJ’, onde usuários com sistema operacional Android ou IOS podem denunciar anexando fotos e vídeos, também com a garantia do anonimato, ou então pela fanpage do Linha Verde no facebook (facebook.com/linhaverdedd).

Autor: Ascom
Fonte: Ascom

Artigos relacionados

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
Botão Voltar ao topo