Polícia

Cinco pessoas são executadas na fronteira entre Brasil e Paraguai BNRJ

Cinco pessoas foram mortas na fronteira entre Brasil e Paraguai entre a tarde de sexta e a manhã deste sábado. Entre as vítimas está o vereador da cidade de Ponta Porã, no Mato Grosso do Sul, e a filha do governador do departamento de Amambay, no Paraguai.

Conforme o G1, a primeira vítima foi o vereador Farid Charbell Badaoui Afif (DEM), de 37 anos. Ele foi executado quando andava de bicicleta em Ponta Porã. Horas antes, publicou um vídeo nas redes sociais falando que visitaria algumas repartições na região.

De acordo com a Polícia Civil, os tiros que atingiram o vereador foram disparados por uma pessoa em uma motocicleta. No local, foram recolhidas quatro munições de calibre 45 e pelo menos um disparo acertou o parlamentar, que morreu no local.

As outras quatro vítimas foram executadas na cidade de Pedro Juan Caballero, vizinha de Ponta Porrã, no início desta manhã quando saíam de uma casa noturna. Elas estavam em um veículo de placas do Paraguai e os atiradores, em uma caminhonete. Segundo a polícia paraguaia, os suspeitos desceram da caminhonete, se aproximaram do carro, atiraram e fugiram. Todos os baleados morreram no local.

As vítimas foram indentificadas como Haylee Carolina Acevedo Yunis, de 21 anos, filha do governador de Amambay, Ronald Acevedo, atingida com seis tiros; Omar Vicente Álvarez Grance, de 32 anos, conhecido como “Bebeto”, atingido por 31 tiros; Kaline Reinoso de Oliveira, de 22 anos, natural de Dourados, morta com 14 tiros e Rhamye Jamilly Borges de Oliveira, de 18 anos, também brasileira, morta com 10 tiros.

Em nota, a Câmara Municipal de Ponta Porã lamentou a morte do vereador e informou que o sepultamento será realizado no cemitério Cristo Rei às 17 h deste sábado. RLagos

Artigos relacionados

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
Botão Voltar ao topo