Política

Mobilização contra a extinção da UEZO BNRJ

Autor do projeto de lei que originou a implantação da UEZO – Fundação Centro Universitário Estadual da Zona Oeste, o deputado Coronel Jairo (SDD) já anunciou voto contrário ao projeto de lei 5071/2021, do Poder Executivo, de incorporação da UEZO à Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ). 
 
A proposta começou a ser debatida no plenário da Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) e, após receber 28 emendas, saiu de pauta para que sejam realizadas duas audiências públicas para discutir melhor o PL de incorporação.
 
“Sou contra qualquer projeto de extinção da UEZO justamente por sempre defender a autonomia universitária. No meu primeiro ano de mandato, eu criei o projeto de lei que originou a UEZO. Ao longo dos anos, destinei emendas para fortalecer a universidade”, afirma Coronel Jairo, referindo-se ao projeto de lei 702/2003.
 
Na avaliação do deputado, faltam sensibilidade e preocupação social do governo na proposta de acabar com a primeira universidade pública sediada na zona oeste. “Resgatar a qualidade do ensino público é dever institucional de governos comprometidos com a elevação cultural e educacional da juventude. É um retrocesso acabar com a UEZO, querem tirar da zona oeste a capacidade de formar profissionais”, complementa o deputado Coronel Jairo.
 
Também levantaram a voz contra a incorporação da UEZO à UERJ os deputados Luiz Paulo (Cidadania), Flávio Serafini (PSOL), Waldeck Carneiro (PT)e Dani Monteiro (PSOL), que discursaram no plenário da Alerj na última quarta-feira.
 
Criada há 16 anos, a UEZO tem seu campus às margens da Avenida Brasil, zona oeste do Rio de Janeiro.
 
Deputado Coronel Jairo é contra a extinção e incorporação da UEZO à UERJ
 

Juliana Oliveira 

Assessoria de imprensa 
 

Artigos relacionados

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
Botão Voltar ao topo